História da Pipa

Origens
Câmara Cascudo alude a Arquitas de Tarento, contemporâneo de Platão (século V a.c.), a invenção da pipa; segundo estudiosos, o empinamento de pipas é praticado no Extremo Oriente desde as primeiras eras;
O Ocidente só efetivou sua prática a partir do século XIV. Os primeiros mercadores portugueses, ingleses e holandeses é que teriam trazido a pipa para a Europa;
Teorias, lendas e suposições tendem a demonstrar que o primeiro vôo de uma pipa ocorreu em tempos e em várias civilizações diferentes, mas a data aproximada gira em torno de 200 anos antes de Cristo. O local: China usada para fins militares;
No Egito hieróglifos antigos já contavam de objetos que voavam controlados por fios. Os fenícios também conheciam seus segredos, assim como os africanos, hindus e polinésios.
Em 1749 o Escocês Alexandre Wilson usou termômetros presos em pipas para medir a temperatura nas alturas.
Em 1752, Benjamim Franklin, utilizando uma pipa de pano demonstrou num dia de chuva que nas alturas existe eletricidade estática. Com isso foi criado o pára-raios.
O inglês Douglas Archibaid em 1883 prendeu um anemômetro (medidor de vento)a linha de uma pipa e mediu a velocidade do vento a 360 metros de altura.
Guglielmo Marconi, em 1901 usou uma pipa para erguer uma antena e fez a primeira transmissão de rádio.
O primeiro avião do mundo, o 14 Bis, criado pelo brasileiro Santos Dumont, era na verdade um conjunto de pipas!
Como vimos a pipa sempre esteve na vida do homem. Portanto se for usá-la para lazer ou diversão use-a com cuidado e critério para não prejudicar os outros.
“Para lazer ou diversão use-a com cuidado e critério para não prejudicar os outros”.

A pipa no Brasil

“Está com medo, tabaréu? É linha de carretel” é o grito de guerra entre os meninos pipeiros”.
Nós brasileiros conhecemos as pipas através dos colonizadores portugueses por volta de 1596. Um fato pouco conhecido de nossa História deu-se no Quilombo dos Palmares, quando sentinelas avançadas anunciavam por meio de pipas quando algum perigo se aproximava, mais uma prova de que a pipa era conhecida na África há muito mais tempo, pois os negros já cultuavam-na como oferenda aos deuses.
Os nomes que a pipa ganhou aqui derivam do animismo que o povo atribuiu ao objeto. Por sua semelhança com a “arraia” ou “raia”, a pipa é assim chamada em muitos lugares do país.
Por sua variedade de cores e pela circunstância de vôo ela é também denominada “papagaio”.
O próprio nome “pipa” deriva da semelhança que o objeto tem com a vasilha bojuda de madeira que serve para conter líquidos;
No Rio Grande do Sul é uma autêntica tradição espanhola o velho costume de empinar pipas na sexta-feira santa. As pessoas saem cedo de casa, com um farnel na mão e a pipa pendurada nas costas, e seguem para os cerros da região, longe dos fios que fazem a transmissão de energia, para dedicar-se ao esporte.
Além dos conhecidos nomes “pipa”, “arraia” ou “raia”, “papagaio”, “pandorga” e suas variantes, é chamada de muitas outras formas nas regiões do país:
Amazonas – Cangula, Guinador, Frade, Curica e Estrela
Ceará – Barril, Bolacha, Cangulo, Estrela e Pecapara
Rio de Janeiro – Cafifa, Laçadeira, Estilão, Gaivota, Marimba, Pião, Modelo, Quadrado e Carambola
Maranhão – Jamanta (quando grande) e Curica (quando pequena)
Pernambuco – Camelo e Gamelo
Rio Grande do Norte – Coruja
Minas Gerais – Frecha, Catita, Quadra e Lampião
São Paulo – Rainha, Peixinho, Quadrado, Quadrada, Quadradinha e Índio
Pará – Maranhoto, Curica, Pote, Guinador e Cangula
Rio Grande do Sul – Churrasco, Barrilete, Arco, Estrela, Caixão, Bidê, Bandeja, Navio e Pipa
Santa Catarina – Papagaio e Barrilote
Em alguns lugares do país, ainda é comum ver um menino montando uma armação com varinha de bambu e usando a criatividade com papéis de seda coloridos. Mas a arte de empinar uma pipa corretamente exige treino e dedicação.
Solte pipa com segurança – bons ventos
1- Evite áreas com fios elétricos, áreas próximas a estradas e rodovias, aeroportos
2- Cuidado com pessoas que estão à sua frente
3- Não solte pipas sobre laje de casas, sem as proteções laterais
4- O uso do cerol é proibido
5- Cuidado com a travessia de ruas onde passam veículos
6- Não solte pipas em dias de chuva ou relâmpagos
7- Se a pipa enroscar em fios não tente tirá-los, é melhor perder a pipa do que a vida
8- Não use linhas metálicas como fio de cobre de bobinas
9- Não use linha cortante(Cerol). É grande o risco de cortar pessoas, inclusive você
10- Use luvas para não queimar as mãos na linha
11- Atenção para motos e bicicletas, a linha pode ser perigosa para os condutores
12- Olhe bem onde pisa, especialmente para trás.